Alinhamento

O serviço de alinhamento consiste na correção dos ângulos na suspensão em pivôs e terminais de direção, o que permite o ajuste das rodas para que o pneu tenha o mínimo atrito possível com o solo e um rodar livre no eixo de rotação.

É recomendado testar o alinhamento de rodas a cada troca de pneus, quando apresentarem desgaste irregular na banda de rodagem ou desgaste prematuro, quando o veículo puxar a direção para um dos lados, e preventivamente a cada 7.000 km, por ocasião do rodízio que deve ser feito junto com o balanceamento. Desta forma, os pneus irão ter uma maior vida útil com maior quilometragem.

Para um perfeito alinhamento é necessário que todos os componentes da suspensão estejam em bom estado.

Balanceamento de roda

O balanceamento de rodas é a compensação feita para equilibrar o conjunto pneus e rodas com a aplicação de contrapesos de chumbo. O balanceamento deve ser feito toda vez que for desmontado o pneu da roda para conserto, na instalação de um pneu novo, no primeiro sinal de vibração no volante, quando haver desgaste irregular da banda de rodagem, e preventivamente a cada 7.000 km.

Rodizio de Pneus

Um recurso para equalizar o desgaste dos pneus e fazer com que os mesmos durem mais, e existe porque os pneus do carro não se desgastam uniformemente.

Os pneus da dianteira costumam ter vida útil menor que os da traseira, pois são submetidos a maiores esforços, provocados pelo sistema de direção e também de tração (que é dianteira na grande maioria dos automóveis). Então, em determinado ponto, troca-se os componentes de eixo, para equilibrar a vida útil.

Muitos fabricantes de pneus recomendam o rodízio a cada 07 mil quilômetros. Esse prazo vale como parâmetro, mas não deve necessariamente ser seguido à risca, pois o desgaste pode sofrer variações em função do tipo de condução e das características relativas às vias pelas quais o automóvel circula.

Se o seu veículo tiver tração traseira, a ação é diferente: os pneus posteriores devem ser levados para frente em linha reta, enquanto os anteriores vão para trás de forma cruzada. Se a tração for integral, basta mudar os componentes de lugar fazendo um “X”.

Freios

O sistema de freios constitui uma das partes mais importantes e vitais de um veículo, sendo projetado para dar o máximo de rendimento com um mínimo de manutenção. Corretamente conservado e ajustado, o sistema de freios proporciona ao motorista a garantia de uma frenagem segura, sob as mais diversas condições de tráfego.

No uso contínuo de um veículo, nenhum componente é tão intensamente sujeito a esforços e altas temperaturas quanto o sistema de freios, isto em decorrência das frenagens. Embora sejam os componentes de um sistema de freios rigorosamente projetados e fabricados, o uso contínuo dos freios durante um período resultará em desgaste natural de alguns de seus componentes.

Estes desgastes serão compensados por dispositivos automáticos de ajustagem incorporados ao sistema de freio pelo fabricante. Contudo, a necessidade de substituição de certos componentes após determinado tempo de serviço deve ser prevista.

Troca de óleo

Simples à primeira vista, a troca do óleo é muito mais importante para a vida útil do motor do que muitos imaginam. Uma lubrificação deficiente pode causar desde danos mais simples – como redução de desempenho e aumento do consumo de combustível – até o temido diagnóstico de “motor fundido”, que pode representar até metade do valor do automóvel na hora de conserto. Com o objetivo de derrubar mitos e esclarecer as principais dúvidas dos motoristas, ouvimos especialistas no assunto para descobrir as melhores dicas para fazer seu óleo (e motor) durar mais.

Troca Correia dentada

A correia dentada, peça de extrema importância que atua no motor do veículo, ligando o eixo-comando de válvulas ao virabrequim do motor, sincronizando-os e fazendo com que as válvulas de admissão e de escapamento se abram e fechem no momento exato. Também mantém o sincronismo entre o virabrequim (que transfere a força do motor às rodas) e o comando de válvulas (responsável pela entrada e saída de gases no cilindro). Quando ela arrebenta, os prejuízos são grandes. A quebra da correia durante o funcionamento do motor pode causar graves consequências ao conjunto motor e grande prejuízo ao dono do veículo. “Se a correia quebrar, o motor perderá seu sincronismo causando choque direto e desordenado entre seus componentes internos como pistões, válvulas, bielas e cabeçote. O motor vai parar de funcionar imediatamente, pois não terá mais condições de transmitir o movimento.

A forma de verificação da correia é através do acompanhamento da quilometragem ideal para troca, que deve ser realizada a cada 50.000 km.

Suspensão em Geral

A suspensão é um sistema que tem a função de absorver as vibrações e choques das rodas, proporcionando conforto aos ocupantes do veículo e garantindo o contato das rodas com o solo. E mais importante: é elemento vital para assegurar os níveis pretendidos de estabilidade do veículo, nas freadas, em curvas, e em situações onde o melhor comportamento do veículo é solicitado de forma crítica.

É vital para a segurança ativa do veículo, ajudando a não comprometer a integridade física do usuário.

Formada por uma série de componentes (amortecedores, molas, bandejas, braços, pivôs, buchas, barra estabilizadora e bieletas), a suspensão sofre desgaste natural com o uso, podendo prejudicar o desempenho do veículo que fica mais vulnerável ao fazer curvas, ao trafegar em solos irregulares e outras situações comuns em estradas e ruas do País.

Por isso, é fundamental que o motorista fique atento aos sinais que indicam a necessidade de substituição desses importantes componentes. Formas de dirigir mais agressivas podem provocar um desgaste maior e prematuro da suspensão. É diferente passar por buracos e crateras de uma maneira cuidadosa em baixa velocidade do que frear bruscamente ou simplesmente ignorar esses obstáculos sem reduzir a velocidade. Imagine esse hábito sendo repetido todos os dias, não há suspensão que agüente o tranco. A não ser no caso dos veículos produzidos para enfrentar solos acidentados, como os 4X4. Sendo assim, o melhor a fazer é maneirar quando não der para desviar desses inconvenientes, mas inimigos permanentes dos automóveis. Para ajudar a identificar os problemas e sintomas que podem ocorrer na suspensão, veja algumas dicas:

  • Amortecedores: amortecedores gastos deixam de exercer a sua função e ficam sem ação, o que leva ao desgaste prematuro dos componentes da suspensão.
    • Sintoma: Veículo sem estabilidade e barulho na suspensão.
  • Molas: quando estão gastas ficam sem ação e provocam o desgaste prematuro dos componentes da suspensão.
    • Sintoma: veículo sem estabilidade e barulho na suspensão.
  • Bandejas e braços: danificadas e buchas gastas.
    • Sintoma: barulho na suspensão e dirigibilidade comprometida.
  • Pivôs e buchas: folga ou gastos.
    • Sintoma: Barulho na suspensão.
  • Barra estabilizadora e Bieletas: folga ou gastos.
    • Sintoma: veículo sem estabilidade e barulho na suspensão.
Rolamento

O ronco geralmente começa baixo, como um chiado forte. Depois vai aumentando ao ponto de infernizar o motorista dentro do carro. Rolamento de roda quando começa a roncar não tem jeito. Precisa ser trocado. Além do barulho incômodo, ele pode quebrar se não for substituído e, em último caso, provocar o travamento da roda.

Os rolamentos de roda costumam durar mais de 100 mil quilômetros ou cinco anos. Porém, podem apresentar defeitos antes se a peça tiver algum problema de lubrificação ou sofrer a entrada de umidade. “O contato dos rolamentos com umidade ou mesmo um contato direto com água gera uma reação química do oxigênio com o aço do rolamento, a qual denomina-se oxidação, que atua de forma corrosiva no material dos rolamentos e impossibilita a sua utilização”.

Neste caso, o motorista começará a perceber um ronco especialmente em estradas bem asfaltadas. A intensidade do ronco vai aumentando conforme a velocidade, já que quando mais as rodas giram mais a peça faz barulho.

Os rolamentos dianteiros costumam estragar primeiro devido à tração, que na maior parte dos carros brasileiros é na frente.

Outros serviços
  • Higienização do ar Condicionado;
  • Escapamento;
  • Alternador;
  • Injeção Eletrônica;
  • Embreagem;
  • Troca de Filtros e fluidos em geral;
  • Lâmpadas e Palhetas de Para-brisas;
  • Troca de velas e cabo de velas;
  • Amortecedores;
  • Conserto de roda e Pneu;
  • Mecânica em Geral